18.9 C
Balneário Camboriú

Nós Balneário Camboriú

Covid-19: Pesquisa estima 89 mil demissões na Foz do Itajaí

Pesquisa estima que empresas da Foz do Itajaí demitiram mais de 89 mil funcionários desde o início da pandemia

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

good newshot

UniSociesc está com Plantão on-line de Condições Especiais

Siga construindo seu futuro estudando em uma das melhores instituições de ensino do Sul do País

Unimed será patrocinadora da roda gigante de Balneário Camboriú

Mensagens publicitárias da Unimed serão veiculadas nos monitores de vídeo instalados nas 36 cabines da roda gigante e nos painéis do empreendimento
Siga-nos no Google News

Os números de demissões na Foz do Itajaí durante o período de pandemia do novo Coronavírus aumentaram mesmo com as medidas de afrouxamento do isolamento. Estima-se que 89.412 mil pessoas perderam o emprego desde o início da crise. Isso foi o que apontou a 3ª medição da pesquisa “Impacto do Coronavírus nos negócios de SC” realizada pelo Sebrae/SC, Fiesc e Fecomércio, entre os dias 4 e 6 de maio, com mais de 273 empresas da região da Foz. A margem de erro é de 6,3%.

A pesquisa identificou que 61.577 (43,6%) das empresas já demitiram funcionários na região da Foz do Itajaí, enquanto que no Estado o número de empresas representa 41,4%. As demissões aconteceram em maior número nas empresas de médio e grande porte, sendo que as grandes empresas somam 90% de demissões.

O setor que mais registra demissões é a indústria com 74,6%, enquanto nos setores de comércio e serviços o percentual varia de 31% a 42%. Além das demissões, 33% das empresas adotaram suspensão temporária do contrato de trabalho e 25,3% implantaram a redução proporcional da jornada de trabalho e salários, sendo a modalidade de acordos individuais a preferida nas negociações com os trabalhadores. Nos setores da economia, a indústria teve um porcentual maior, com cerca de 62,7% da suspensão temporária do contrato de trabalho adotada pelas empresas e 51% do setor aderiu a redução proporcional de jornada de trabalho e salários.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

No que diz respeito à forma de funcionamento das empresas da Foz do Itajaí, 82,8% estão em atividade com as medidas de relaxamento da quarentena. A grande maioria das empresas, entretanto, opera com restrições e mudanças, sendo que 44% está com redução na produção e 20,5% funcionando com serviços como teletrabalho e tele entrega. Cerca de 24 mil empresas estão inoperantes no momento e os pequenos negócios seguem mais impactados pelas medidas da quarentena.

Busca e acesso a crédito

A pesquisa apontou que 52% dos empresários da Foz do Itajaí buscaram por crédito no período da pandemia, porém apenas 1 em cada 3 empresários que buscaram por esse tipo de capital tiveram sucesso. O crédito é mais acessível para as grandes e médias empresas. O setor que mais busca e consegue empréstimo é o da indústria com 34,1%. Uns dos motivos que evitam a procura pelo empréstimo é a não necessidade e a burocracia. Já os motivos pelos quais não tomaram crédito foi pela inadimplência, juros altos e faltas de linhas de crédito compatíveis com perfil da empresa.

Retomada dos negócios

O estudo também avaliou as medidas dos governos para o enfrentamento da pandemia e conclui que 58,6% dos empresários da Foz do Itajaí reprovam as medidas adotadas pelo Governo do Estado de SC, enquanto a esfera federal têm 52,7% de aprovação. Entre as medidas mais sugeridas pelos empresários para o combate ao covid-19, está a exigência no uso de máscaras com 75,1%, isolamento vertical com 74,0%, políticas de conscientização da população com 67,4% e testes em massa com 58,2%.

Sobre a recuperação das empresas, a pesquisa apontou que 62,6% dos empresários acreditam que será necessário o tempo de recuperação de até 1 ano, já cerca de 1/3 das empresas estimam um tempo de recuperação superior a 1 ano. Entre os setores, 40,6% do comércio, 35,6% da indústria e 40,9% dos serviços acredita que será necessário de três a seis meses para recuperar a empresa. Para que a retomada aconteça, 59,7% dos empresários pede disponibilidade de novas linhas de crédito, 57,1% pede a busca pelo equilíbrio dos gastos públicos, 54,9% a flexibilização na concessão de créditos e  52,7% incentivos fiscais.

Segundo o Gerente Regional do Sebrae da Foz do Itajaí, Alcides Sgrott Filho, mesmo com 67 mil trabalhadores em regime de suspensão temporária de contrato de trabalho e cerca de 76 mil com jornada de trabalho e salário reduzidos, o número de demissões aumentou 30,6% na região desde o afrouxamento das medidas de isolamento. “Tivemos um período de reabertura dos negócios na primeira quinzena de abril, mas as empresas ainda estão com dificuldades em retomar seus negócios. É importante fazermos pesquisas junto aos empresários e as entidades, em formato de sondagem, para enxergarmos nosso cenário atual, já que em 19 dias mais de 22 mil empregos foram perdidos na nossa região”, revela.

PUBLICIDADE

Placa gera revolta na Praia dos Amores: ‘coloquei veneno de rato na grama’

Placa gerou confusão na vizinhança da localidade, onde três cães comunitários foram vítimas de envenenamento recentemente

Governador entrega defesa do segundo pedido de impeachment

O 2° pedido de impeachment trata da compra dos 200 respiradores e do hospital de campanha de Itajaí
PUBLICIDADE

NOTÍCIAS DE

Balneário Camboriú

SOCIAL PROOF

214,075FansLike
36,955FollowersFollow
185SubscribersSubscribe

1 COMENTÁRIO

COMENTE

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE
Enviar mensagem
Envie sua notícia
Envie sua NOTÍCIA ou sua DENÚNCIA para a nossa equipe de jornalismo!