Nós Balneário Camboriú

18.9 C
Balneário Camboriú

Fotógrafo preso na ‘Operação Abusou’ é solto após 34 dias de prisão preventiva

Jorge Moura deve usar uma tornozeleira eletrônica como medida cautelar

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Siga-nos no Google News

34 dias após ser preso preventivamente, o fotógrafo Jorge Moura foi solto nesta quarta-feira, 01 de junho. Ele foi preso durante a operação ‘Operação Abusou’, realizada pela Polícia Federal, que teve o objetivo de desarticular uma organização criminosa que atuava na produção, disponibilização e comercialização de fotos e vídeos de crianças e adolescentes, principalmente brasileiras, em poses sensuais e eróticas, direcionados à pedofilia em websites situados no exterior.

Jorge Moura, também foi acusado da prática de crimes sexuais e de induzir as modelos a trocarem de roupa em seu carro e em seu estúdio fotográfico, onde haveria espelhos e câmeras estrategicamente posicionadas para registrá-las nuas.

Após a soltura nesta quarta-feira, a 1ª Vara Federal de Itajaí determinou como medida cautelar, que Jorge deve usar uma tornozeleira eletrônica.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Segundo a PF, desde o ano de 2001, garotas eram convencidas a serem filmadas e fotografadas com roupas de banho e sem peças íntimas, sob a promessa de que o material seria utilizado para agenciamento de modelos em trabalhos de moda e publicidade, além do argumento de que as fotos seriam exigência das empresas.

Entretanto, as imagens, nomes e perfis de redes sociais eram vendidas na deepweb, por meio de sites na internet controlados pelo grupo, em países como a República Tcheca, Estados Unidos e Rússia. Identificou-se, ainda, que essas imagens eram comentadas e compartilhadas por indivíduos que expressavam interesse em abuso sexual infantil e também em fazer contato com as garotas.

Durante a Operação Abusou, dez pessoas foram indiciadas pelos crimes de organização criminosa, violação sexual mediante fraude, importunação sexual, assédio sexual, registro não autorizado da intimidade sexual, disponibilização de material pornográfico e estupro de vulnerável. Na medida de suas participações, os indiciados poderão responder pelos crimes citados, tipificados em Lei e no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Receba notícias de Balneário Camboriú e região pelo Telegram do Camboriú News

good news
especial publicitário

PUBLICIDADE

COMENTE

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

* Os comentários publicados são de absoluta responsabilidade de seus autores, e não devem ser entendidos como posicionamento do Camboriú News e seus editores.

camboriú shop