18.9 C
Balneário Camboriú

Nós Balneário Camboriú

Paraquedista de Balneário Camboriú morre em acidente com tirolesa no RS

Sandro Marcos da Silva, 49 anos, bateu no telhado de uma casa durante o percurso

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

good newshot

UniAvan recebe reconhecimento nacional de Responsabilidade Social

Selo foi concedido pela Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES) e levou em conta ações anuais e desenvolvidas durante a pandemia

Seletivo Especial da UniSociesc acontece no dia 28 de novembro

Os candidatos devem se inscrever através do site unisociesc.com.br/vestibular e os mais bem colocados garantem bolsas de até 100%
Siga-nos no Google News

A vida de Sandro Marcos da Silva, de 49 anos, era dedicada aos esportes radicais – atividades de perigo que eleva a adrenalina do corpo devido às condições extremas de velocidade, altura e outros fatores, onde um pequeno erro pode ser fatal. E foi justamente por uma falha durante um teste de equipamento, que o esportista faleceu nesta terça-feira (8) – “trabalhando com o que ele mais amava”, segundo familiares.

Morador de Balneário Camboriú, Sandro era fundador do Projeto Aventuras Tirolesas do Brasil, especializado na montagem de tirolesas, circuitos de arvorismo e paredes de escalada.

Ele estava acompanhado de suas duas filhas adolescentes em Iraí/RS, município de 7,2 mil habitantes que faz divisa com Santa Catarina, para colocar em funcionamento a terceira maior tirolesa do país, com 1.680 metros, que havia sido contratado para instalar.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O experiente paraquedista e base jumper, que foi um dos atletas que saltou do edifício Yachthouse em novembro de 2017, morreu ao bater no telhado de uma casa durante o percurso da tirolesa que seria inaugurada no próximo sábado (11).

Segundo o delegado que investiga o caso, Ercílio Carletti, Sandro bateu na casa porque o cabo distensionou. Ele pediu uma vistoria na tirolesa, suspeitando que o calor superior a 30ºC possa ter distendido o cabo de sustentação. “Apenas a perícia vai poder apontar o que de fato aconteceu com o equipamento”, disse.

Os moradores da casa onde Sandro caiu não foram atingidos.

20 ANOS DE EXPERIÊNCIA

Ao GaúchaZH, o engenheiro Murilo Wehle contou que o zelo de Sandro o fazia ser conhecido como “o cara chato da segurança”.

— Duvido muito que ele tenha pulado algum procedimento, porque tinha muita experiência no ramo. Até agora, não tenho respostas para o que aconteceu. Foi o primeiro incidente dele e também o mais difícil de acreditar — disse o engenheiro, responsável pelo estudo de viabilidade da tirolesa. À ele, surpreendeu que Sandro tenha se lançado na travessia. Pois, pelo procedimento padrão, o teste da travessia é realizado primeiramente com um boneco.

Fernando de Rossi, Dono da Irahy Ecoparque, que contratou a empresa de Sandro e irá operar o equipamento, relatou que o paraquedista estava fazendo testes no cabo de aço, que havia sido tensionado no sábado (4), e sido advertido a evitar a descida. No entanto, ele teria decidido se arriscar porque, se necessário, saltaria de paraquedas.

— Tendo mais de 20 anos de experiência, ele sabia o que estava fazendo — comenta Fernando.

O sepultamento de Sandro Marcos ocorre na manhã desta quinta-feira (09), no cemitério municipal de Camboriú. Ele deixa três filhos e esposa.

PUBLICIDADE

Camboriú registra 47 novos casos de coronavírus nesta quarta-feira

No momento 355 pacientes encontram-se em tratamento, destes 335 estão em isolamento domiciliar

Quarta-feira com 171 novos casos de covid em Balneário Camboriú

Permanecem em tratamento 1.333 pacientes, sendo 1.298 tratamentos em domicílio e 35 internados
PUBLICIDADE

NOTÍCIAS DE

Balneário Camboriú

SOCIAL PROOF

220,203CurtidasCurtir
49,700SeguidoresSiga
4,700SeguidoresSiga
236InscritosInscreva-se

COMENTE

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE
Enviar mensagem
Envie sua notícia
Envie sua NOTÍCIA ou sua DENÚNCIA para a nossa equipe de jornalismo!