18.9 C
Balneário Camboriú

Nós Balneário Camboriú

Polícia Civil conclui inquérito que apurava fabricação de álcool em gel supostamente falsificado

Fabricante e químico foram indiciados pelo crime de “falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

good newshot

UniSociesc está com Plantão on-line de Condições Especiais

Siga construindo seu futuro estudando em uma das melhores instituições de ensino do Sul do País

Unimed será patrocinadora da roda gigante de Balneário Camboriú

Mensagens publicitárias da Unimed serão veiculadas nos monitores de vídeo instalados nas 36 cabines da roda gigante e nos painéis do empreendimento
Siga-nos no Google News

No último mês de março, em pleno período de combate ao Coronavírus, a Polícia Civil do Estado de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, com apoio do PROCON e da Vigilância Sanitária de Balneário Camboriú, após recebimento de algumas reclamações que determinadas farmácias estariam comercializando álcool em gel supostamente falsificado, iniciou fiscalização, culminando na apreensão de frascos de álcool expostos à venda em farmácias.

Após a apreensão, algumas amostras, colhidas de quatro farmácias, foram encaminhadas ao Instituto Geral de Perícias (IGP). O laudo pericial referente aos produtos apreendidos em determinada farmácia, atestou a concentração de apenas 44,1º INPM, sendo que o correto era conter a concentração de álcool etílico entre 60 e 70%.

As mencionadas amostras, além de não conterem data de validade, data de fabricação e número de lote, estavam pondo em risco a saúde e, quiçá, a vida, dos consumidores.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Vale salientar que ocorreram problemas com o mesmo produto no Estado do Rio Grande do Sul. No Estado vizinho, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) chegou a verificar concentrações de 35,6º INPM e 48,5º INPM, portanto bem abaixo do mínimo exigido para a prevenção de doenças causadas por vírus e bactérias.

Dessa forma, o representante legal da empresa fabricante e o químico responsável pelo setor de análise de qualidade da empresa de Itajaí foram indiciados pelo crime de “falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”, cuja pena é de 10 a 15 anos de reclusão.

PUBLICIDADE

BC teve final de semana com praia cheia, mas permanência em praias continua proibida em SC

A dúvida sobre a liberação foi levantada por moradores e turistas que presenciaram a praia cheia

Hóspede comete suicídio em banheiro de hotel de Balneário Camboriú

Esse seria o 9° suicídio ocorrido em Balneário Camboriú em 2020
PUBLICIDADE

NOTÍCIAS DE

Balneário Camboriú

SOCIAL PROOF

213,929FansLike
36,955FollowersFollow
185SubscribersSubscribe

COMENTE

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE
Enviar mensagem
Envie sua notícia
Envie sua NOTÍCIA ou sua DENÚNCIA para a nossa equipe de jornalismo!